Publicado em Deixe um comentário

Como fazer uma alimentação orgânica ou biológica, com menos custos

Muitos dos alimentos que chegam até nós não são biológicos.

Convém sabermos a sua origem e como são manipulados para que tenhamos a certeza do que estamos a consumir.

De uma maneira geral, estes alimentos têm um valor de compra elevado. No entanto, é possível consumir alimentos biológicos ou orgânicos a custos mais conscientes.

O que é uma alimentação biológica?

Uma alimentação biológica ou orgânica, no que diz respeito aos vegetais, é uma alimentação com produtos que foram cultivados sem o uso de químicos sintéticos, fertilizantes, herbicidas, inseticidas e sem organismos geneticamente modificados.

No que diz respeito às carnes, são criadas no solo com espaço, alimentadas com alimentos de cultivo biológico e com criação respeitada.

O que é importante considerar?

É importante considerar que existem produtos biológicos que não são tão saudáveis como pensamos, como por exemplo, bolachas e pães biológicos, produtos que contém açúcar.

Açúcar este que pode ser açúcar de cana biológico, mas que vai ser sempre um inflamatório. Mesmo existindo a estampa do biológico.

Existem alimentos que são adequiridos de produtores locais, que podemos considerar que são biológicos ou orgânicos e não o são.

O facto de serem produtos cultivados localmente, é muito bom a nível ambiental, estes produtos usam adubos, inseticidas e herbicidas nos seus cultivos. Muitas vezes, usando mais do que é recomendado, por ser difícil fazer as suas diluições.

Qual a importância da alimentação biológica nas nossas crianças?

Vários estudos já comprovaram que os agrotóxicos são estrogenicos. O nosso organismo vai inflamar ao entrar em contacto com estes tóxicos, e produzir mais estrogénio. Vai existir uma desregulação hormonal.

Por serem produtos extremamente inflamatórios, as crianças quando consomem produtos de agricultura normal vão inflamar.

Muitas vezes os vegetais, os verdes que colocamos no prato das nossas crianças não são saudáveis e provocam inflamação. Aumentando a propensão para a doença.

Acaba por ser preocupante querer alimentar a nossa criança com vegetais, essenciais ao seu crescimento e, ao mesmo tempo depararmo-nos com a inflamação que lhes provoca.

A criança por ter dores começa por rejeitar a alimentação tão essencial ao nosso organismo e à regeneração celular.

Ao alterar o tipo de alimentação os resultados são imediatos, porque a inflamação diminui e a Imunidade Guerreira aumenta.

A importância de uma alimentação biológica para todos

Conto-te o meu caso porque foi assim que iniciei a minha viagem pela alimentação biológica e orgânica.

Quando mudei para Lisboa, deixei de ter acesso aos alimentos que faziam parte da minha alimentação. Comecei por inflamar, ficar doente e a recuperação era, muitas vezes, lenta.

Decidi, por isso, que iria alterar a minha forma de me alimentar, para trazer o meu corpo, novamente, a um estado de saúde.

Ao alterar a minha alimentação os resultados foram muito rápidos, maior vitalidade, mais energia e, como nessa altura, eu lutava contra uma doença autoimune, a alteração da alimentação fez uma grande diferença.

E não adianta mudar os rótulos, sem mudar realmente a minha alimentação. Isto é, continuar a comer pão, bolchas, só porque no rótulo indica que é bio. Desde que tenha agentes inflamatórios, seja ou não bio, pouca importância terá.

A tua família poderá estar a adoecer e tu não te dás conta de porque será. O intestino torna-se irritável, surgem intolerâncias alimentares de outros tipos, alergias respiratórias, entre outras doenças, que podem surgir apenas devido à alimentação.

Como podemos consumir a custos conscientes?

Primeiro que tudo deves identificar os produtos modificados, as tais bolachas, pão, comidas já preparadas, entre outros, esses, sim, encarecem este tipo de alimentação mais consciente e saudável.

Se fizeres uma alimentação baseada em produtos de um ingrediente, crus, que deve ser a base da tua alimentação, fica muito mais barata.

Acontece, muitas vezes os alimentos biológicos não serem de perto. Convém que tenhamos atenção onde essas empresas compram os seus produtos, para garantir que são de produtores locais e, assim, conscientes a nível ambiental, não massificando a produção.

Quando mais consumirmos estes produtos, quanto mais consumidores existirem, mais mercado para os produtores locais.

Deixando de haver a necessidade de comprar de longe, diminui a poluição e aumenta a economia local.

Este deve ser o compromisso.

Quem puder ter a sua hora caseira, melhor ainda.

Qual o melhor momento para iniciar a alimentação biológica nas nossas crianças?

O melhor momento é já!

Aliás, o melhor é durante a gestação. Desde o momento da conceção que devemos começar por fazer uma alimentação saudável.

E se começarmos antes da gestação, estamos, sem dúvida, a garantir muito mais qualidade de vida, muito mais nutrientes e muito mais saúde às nossas crianças.

A alimentação biológica é um básico para a saúde.

Qual a melhor forma de fazer uma alimentação biológica?

Começamos por encontrar uma empresa que forneça por cabaz, de vegetais, legumes, frutas, sempre no mesmo dia da semana, ou então, com muita regularidade.

Estes produtos vão ser sazonais, garantindo assim que são o mais local possível e com menos tóxicos, porque crescem com a estação.

Vai permitir ter uma grande variedade de produtos, facilitando a criatividade para os tornar em refeições.

Como este cabaz é regular, podes organizar e fazer uma pré-preparação dos produtos. Organizas uma ementa e começas por cozinhar aqueles que são perecíveis, picar, fatiar, cortar, etc., guardando-os no frigorífico ou no congelador.

Gastas naquela altura algum tempo, uma, duas horas, poupando depois tempo na preparação das refeições, propriamente ditas, durante a semana, pois tens tudo já preparado e pronto a cozinhar.

Ao receberes este cabaz, poupas ainda imenso tempo, pois não terás que ir tantas vezes às compras.

Ao analisarmos, conseguimos chegar à conclusão que não usando alimentos processados e modificados, os gastos serão muitos menores.

É ótimo, também, para variares, provares e conheceres novos alimentos, fazeres novos pratos e ofereceres aos teus filhos novas experiências alimentares.

Quando calculas os custos desta alimentação biológica, não podes esquecer os custos com a saúde, que serão muito mais elevados, dada a toxicidade da produção em massa. Sairá, por isso, muito mais barata, porque não adoecendo, poupas bastante.

Como vês, só coisas positivas ao escolher produtos biológicos, mais locais e conscientes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.