Publicado em Deixe um comentário

Fazer dieta Low Carb?

Fazer dieta ou alimentação low carb tem a ver diretamente com a redução dos hidratos de carbono.

Esta dieta facilita a desinflamação do organismo, promove a tua imunidade guerreira e mantém esses resultados para uma condição de saúde estável.

A vida sedentária, da maioria das pessoas, diminui em grande escala os níveis de saúde. Completamos esta vida sedentária com os hidratos de carbono, que estão presentes em quase toda a alimentação.

Quais os alimentos com hidratos de carbono?

Os alimentos ricos em hidratos de carbono, num nível preocupante, são o pão, as massas, as farinhas e tudo o que possa ser feito a partir dos cereais.

Menos perigosos são as raízes, a batata, a barata doce, o inhame, que só se retiram caso seja uma dieta para perda de peso ou alguma problema específico.

Nota interessante, a batata normal promove grandes picos de glicémia e quando diminui dá imensa fome, mas uma fome não normal.

O bulgur, o millet e o cuscuz não são boas opções para a dieta low carb. A quinoa poderá ser consumida, mas não é o ideal.

O pão é um dos alimentos mais difíceis de substituir ou mesmo eliminar. Uma das melhores técnicas será não começar o dia com o pão, ou seja, começar por retirar o pão do pequeno almoço e a partir daí será bem mais fácil não comer pão durante o dia.

Podemos fazer substituições destes alimentos?

Podemos fazer substituições destes alimentos por farinhas de amêndoa, farinha de coco, entre outras, em panquecas ou pães, havendo sempre, para muitas pessoas, alguma dificuldade na aquisição destes substitutos ou na realização das receitas.

Temos que ter atenção, que estas farinhas deverão ser utilizadas, apenas, quando existe uma grande dependência e até ser normal não comer estes alimentos. Pois poderá ser sentido como um abrandamento, um hábito, e não avançar na dieta low carb, na desinflamação do organismo e, até mesmo, na eliminação da celulite.

Low carb sem stress

Para fazer substituições simples e que nos ajudem a manter os níveis de saúde, devemos, em vez das farinhas optar pela frutas, pelos frutos secos, pelos ovos, entre outros.

Para uma alimentação saudável, devemos consumir uma porção de, pelo menos, 700 a 750g de fruta e vegetais por dia. Assim trabalhar bem a nossa mandíbula, com estas porções que, também, é uma necessidade.

Fazer uma alimentação o mais simples possível, com ingredientes frescos, cozidos ao vapor, lentamente, para não se perder os nutrientes na cozedura, é o ideal. Ou, até mesmo, crus e sentir todo o seu sabor.

Atualmente já existem vários equipamentos que nos ajudam a preparar ótimas refeições cozinhadas lentamente e ao vapor e que não nos tiram tempo útil.

Algumas ideias…

Snacks de banana e frutos secos, ovo cozido com frutos secos, queijo com nozes, caso não exista intolerância, sandwich e wrap de alface em vez de utilizar pão ou tortilha.

Os legumes cozinhados ao vapor, guardados no frigorifico podem ser usados em saladas ou outras combinações. Fazer um molho com levedura nutricional e azeite, deixando um ótimo sabor nos legumes, é outra opção.

Este podem servir como prato principal ou acompanhamento, de peixe ou carne, dependo da forma como são apresentados na refeição.

Podemos substituir o bacalhau com natas, fazendo um bacalhau fingido, retirando as nata e o bacalhau e colocando espargos.

A couve flor picada pode ser utilizada como arroz ou risoto. Couve flor triturada com queijo ralado, serve como massa de pizza.

A curgete espirilizada, é excelente para fazer “massa” à base de vegetais.

O caril pode ser feito apenas com vegetais.

A linhaça, a farinha de amaranto e a teff, são excelentes opções.

Os ovos são um ótimo alimento, sem limitações, para que não consome uma quantidade grande de proteína animal, carne e/ou peixe. Quem consome muita carne ou peixe deverá consumir menos ovos.

Têm imensas utilizações na cozinha e podem ser utilizados em bastantes pratos, quando está em falta a proteína. São ainda melhores, quando consumidos inteiros, sem separação da gema e da clara.

No pequeno almoço é possível substituir o pão por fruta, por viili, que é um alimento fermentado, por frutos secos, até mesmo por um preparado com sementes de chia e leite vegetal, fazendo uma espécie de geleia.

O colagénio e a dieta low carb

Para as mulheres, o colagénio muito importante, presente na pele, no cabelo e nas unhas, pode ser retirado dos vegetais consumidos.

Será necessário, consumir grandes quantidades para que surta efeito e podemos, ainda, suplementar. No entanto, será muito benéfico retirá-lo dos alimentos consumidos.

Onde ficam as gorduras?

As gorduras são muito importantes numa dieta low carb, porque o nosso combustível, a nossa fonte de energia, que seriam os hidratos de carbono, agora serão as gorduras.

Se a quantidade de gordura for insuficiente, será benéfico suplementar, por exemplo com MCT, que é um extrato do óleo de coco.

Uma excelente opção, para quem faz jejum intermitente e bebe café, será colocar uma colher de manteiga, sem sal, nesse café, pois ajudará o nosso corpo a funcionar no nosso combustível certo para menores níveis de inflamação e melhores níveis de saúde.

Low carb versus high fat

Podemos chamar a esta dieta, uma dieta high fat em vez de low carb, pois iremos substituir os hidratos de carbono como combustível no nosso corpo, por outra fonte de energia, que são as gorduras saudáveis.

Existem restrições para fazer a dieta low carb?

Na maioria dos casos, qualquer pessoa poderá fazer uma dieta low carb. Convém, no entanto, ser seguido por um terapeuta para que a avaliação e as substituições sejam mais conscientes.

O truque é simplificar sem perder o sabor, vegetais cozinhados lentamente e ao vapor e fruta, apresentadas de variadas formas. Muita cor e sabor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *