Publicado em Deixe um comentário

Cuidar de crianças sem medicação, é possível.

Esta forma de cuidar relaciona-se com a necessidade de manter a imunidade e a saúde das crianças em níveis ótimos ou muito bons, desde o nascimento até à vida adulta, e não com radicalismos ou posições contra a medicina.

Existem condições de saúde, que não sendo complicadas, nos permitem cuidar de forma natural e assim evitar medicação. Começando cedo e em casa com Homeopatia e outros tratamentos naturais.

Caso sejam outras questões mais complexas, claro que será dada medicação.

Primeiro tem que existir uma consciencialização de que cuidar naturalmente não passa apenas por ter guidelines, também há algumas coisas a evitar. Para que tudo corra sem grandes percalços

O que nunca deves fazer se queres cuidar das crianças sem medicação?

  • Não medicar a febre, seja apenas como único sintoma ou aliado a outros sintomas: Quando a febre aparece na criança é a resposta imunitária do corpo para alguma doença. E nesse período febril o corpo está a lutar contra essa manifestação da doença e a tentar eliminá-la.

Caso seja esta seja medicada, permitimos que a doença se instale. Numa medicação persistente para baixar a febre a resposta imunitária será menor e a doença poder-se-á instalar e tornar-se crónica. O corpo estará a lutar contra a doença e contra a medicação e haverá uma altura em que desistirá de ter a sua resposta imunitária saudável. Por isso, muitos adultos não têm febre.

  • Acreditar que adoecemos por azar: A doença está sempre ligada a uma causa, sejam os hábitos de vida (alimentação, sono, traumas emocionais ou físicos), o historial da criança, genética, epigenética (modo de vida e história da pessoa), até mesmo com viroses. Mas até mesmo contrair viroses, traduz-se numa debilidade imunitária.

Como existem crianças com uma imunidade mais debilitada que outras, será necessário atender a essa necessidade, com suplementação, alteração dos hábitos de vida, dos hábitos alimentares, tratamentos menos tóxicos no tratamento da criança e não tóxicos no ambiente em casa, prevenindo, assim, algumas doenças.

  • Ficar a pensar “e se…”, a questão da adivinhação: E se o meu filho amanhã já tem tosse; e se vai ficar constipado; e se piorar; e se a febre não passar…

Mesmo que exista uma evolução na doença, na sua maioria das vezes, será lentamente e ao atuarmos com tratamentos naturais ela não irá evoluir muito mais. Porque estes tratamentos naturais são um apoio ao sistema imunitário da criança. A ansiedade do “e se…” irá ajudar a criar e aumentar esse problema.

Para as mães que seguem e leem a Mãe Gaia, nós temos o superpoder de saber o quão doentes os nossos filhos e as nossas crianças estão. Vamos acreditar nesse superpoder, nesse poder da cura que temos e usá-lo com amor para curar e acolher os nossos filhos.

  • Desesperar com o cansaço: Quando as nossas crianças estão doentes, não iremos com certeza dormir nessa noite. Será mais uma noite que o descanso não virá facilmente. Neste momento, desesperar com essa possibilidade não ajuda e apenas aumentará a ansiedade.

Aqui é necessário ter uma rede de apoio e contar com essa ajuda. Pai, família, vizinhos, uma pessoa contratada apenas por uma noite. Pedir ajuda nem sempre é fácil, mas é muito importante saber fazê-lo. Em momentos de desespero com o cansaço, é necessário pedir ajuda.

Trocar horários de sono, ter comida pronta para esses dias, deixar a casa de lado, e dormir mais durante o dia.

O cansaço retira-nos o nosso estado de alerta e de perspicácia, o que é de extrema importância caso os nossos filhos estejam doentes.

  • Preocupar-se com o sono ou recusa alimentar da criança: Nesta altura a criança está a favorecer o seu mecanismo natural se seletividade alimentar.

Preferir apenas um alimento ou recusar de tudo é normal. Quando o corpo recusa comer, quer dizer que a criança está ligada ao seu instinto natural. Trata-se, assim, de um jejum terapêutico, por vontade da criança.

Deve-se oferecer-se água, para não desidratar ou até preparar alguma bebida que promova a eletrólise e que mantenha a criança hidratada.

Esta bebida deve ser feita com água morna, mel e sal marinho (para 1 litro de água morna, juntar 1 colher de café de sal e 1 colher de sopa de mel)

Devemos aceitar essa vontade da criança, pois neste momento, ninguém morre de fome um ou dois dias e poderá servir para o sistema se restabelecer.

Caso não consiga dormir, é sinal que a criança está mesmo desconfortável e precisa de muito acolhimento e ajuda para se sentir um pouco mais confortável.

Temos que acreditar e confiar nos nossos filhos, nas nossas crianças, assim como nas terapias naturais e na sua utilização, para que seja possível tratar de forma natural e sem medicação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *